Sambas-Enredo 2016 – Série A

Observação: Áudios da prévia do CD dos sambas-enredo da Série A, divulgados pela LIERJ.

 

G.R.E.S. UNIDOS DE PADRE MIGUEL

O QUINTO DOS INFERNOS

Compositores: Toninho do Trailler, Jr Beija flor, Marcelo do Rap, Thiago Alves, Alair Perobelli, Diego Alan e Samir Trindade
Intérprete: Luizinho Andanças

Áudio:       Unidos de Padre Miguel 2016

VER LETRA

Chegou a hora!
Preste atenção no que eu vou falar
Desde os tempos de Cabral
Meu Brasil cara de pau
Virou galhofa colonial
Lá vem João, seu banquete à frente
Comeu o frango restou osso pra gente
Somos a terra dos esfarrapados
Igual ao índio nos deixaram pelados
Negão veio de lá, da África pra cá
Se ele soubesse pulava no mar
Com a sinhá se misturou
Mas o doce o rei levou

Brotou na ribeira, o ouro
Mamaram nas tetas de Minas Gerais
A farra do Quinto tirou nosso couro
Quem tem muito, sempre quer mais

Lá vai o rei
Com a mesma frouxidão que aqui chegou
E hoje eu sei
O jeitinho que o país herdou
Vamos proclamar felicidade pra geral
Mandar pros infernos, varrer todo mal
Unidos é hora de kizombar amor
Vermelha e branca a minha fantasia
A nossa alma ninguém levou
Liberdade ainda que folia

Ei, você aí
Avisa na corte a zorra é aqui
A festa é do povo, guerreiro, fiel
Que a ama a Unidos de Padre Miguel

 

G.R.E.S. IMPÉRIO SERRANO

SILAS CANTA SERRINHA

Compositores: Arlindo Cruz, Aloísio Machado, Arlindo Neto, Ze Gloria, Andinho Samara e Lucas Donato (Participação Especial: Carlos Senna, Beto Br e Ronaldo Nunes)
Intérprete: Pixulé

Áudio:       Império Serrano 2016

VER LETRA

Hoje num relicário vivo na memória
Serrinha é um encanto a tua história
Talvez a mais bela de uma favela
Pois foi assim que meus avós contaram
No meio do mato
Passava noite, vinha dia…
O negro fez do morro moradia
Pedindo ao rei banto proteção, saúde…
Como nos bons tempos de além mar
Com água na cachoeira e ouvindo pássaros cantar

Quando o jongo me chamou eu louvei Maria
E no toque do tambor tem magia
Veio gente da estiva, da resistência também
Todo mundo chegou no balanço do trem

Ôô tinha samba na rua
Veio o bloco da lua
Era carnaval!
Foi com prazer que eu desci a Serrinha
Numa noite dourada, num sonho real
Estava nascendo o Império Serrano
Reizinho do meu lugar…
Pro santo guerreiro abençoar…
Quando parti… de longe eu vi mudar
Tudo se modernizar..
É a evolução… a brisa que afaga a juventude
Com charme e negritude
Mas a arte se eternizou
Nos baluartes que mostraram o seu valor!

Meu centenário vou comemorar
Esse é o povo que me consagrou
Imperiano volte ao seu lugar: vencedor!

 

G.R.E.S. UNIDOS DO VIRADOURO

O ALABÊ DE JERUSALÉM, A SAGA DE OGUNDANA

Compositores: Paulo César Feital, Zé Gloria, Felipe Filósofo, Maria Preta e Fabio Borges William (Participação Especial: Zé Augusto e Bertolo)
Intérprete: Zé Paulo Sierra

Áudio:       Unidos do Viradouro 2016

VER LETRA

Viradouro no couro do tambor
Pediu a Oxum e Xangô (ora yê, yê, kawô)
E a Olodumaré, no ifé
Que o africano caminheiro
Desça em solo brasileiro
Pra falar da luz de Nazaré (Nazaré)
O porta-voz da harmonia e da paz
O mensageiro dos orixás
Enfim, já baixou na aldeia
Que aparecida clareia
Com a benção do Cristo Redentor
E a Sapucaí incendeia na chama da sua candeia… incorporou

Meu nome é Alabê de Jerusalém
Voltei a terra pra matar saudade
Vim falar de amor, de tolerância e igualdade

Cruzei Egito, Roma e Judeia
Amei Judith, a flor de Cesareia
O rei dos reis que conheci se espanta e chora
Com essa guerra santa
Que sangra esse planeta azul
Ó meu Brasil, cuidado com a intolerância
Tu és a pátria da esperança
À luz do Cruzeiro do Sul
Um país que tem coroa assim tão forte
Não pode abusar da sorte
Que lhe dedicou Olorum

Kawó kabiesilé Xangô
Ora yê yê, mamãe Oxum do ouro
São João Batista que me batizou
É o protetor da minha Viradouro

 

G.R.E.S. ACADÊMICOS DO CUBANGO

UM BANHO DE MAR À FANTASIA

Compositores: Sardinha, Gustavo Soares, Wagner Big, Diego Moura, Julio Alves, Marco Moreno, Samir Trindade, Elson Ramires e Cláudio Russo (Participação Especial: Adriano Boinha)
Intérprete: Hugo Junior

Áudio:       Acadêmicos do Cubango 2016

VER LETRA

Brilha na linha do olhar
No véu do infinito a se transformar
Do vente da terra escorreu
Da branca espuma, o verde nasceu
Bravura a navegar
No reino de Netuno, a imensidão
Do tenebroso mar da imaginação

Mareou, maré cheia
Iara no rio, sereia no mar
Tem mistério tem, na areia
Boiúna é cobra que vai te levar

Por essas ondas mora Yemanjá
Depois dos oceanos, Olokum
Em águas claras de pai Oxalá
Desagua mamãe Oxum
Vem preservar
As cachoeiras, lagos, ribeirões
Velejar
E orgulhar futuras gerações
Água é vida, vida sou eu
A cristalina, lágrima de Deus

Deixa clarear, o dia
Quero me banhar à fantasia
No vai e vem do mar, as águas vão rolar
É a Cubango dando um banho de alegria

 

G.R.E.S. PARAÍSO DO TUIUTI

A FARRA DO BOI

Compositores: Rafael Júnior, Jorge Maia, W Correia, Dilson Marimba e Claudio Russo
Intérprete: Daniel Silva

Áudio:       Paraíso do Tuiuti 2016

VER LETRA

Ser tão criativo nos sertões da fé
Pra não ser mais um ao Deus dará
Seja homi ou muié… no Ceará
Contam que a água rareia
E a fé aperreia a imaginação
Na terra das crendices, disse me disse, vixe maria
Oxente um presente ao padinho
Um danado de um boi mansinho
Fez causo popular, laiá, laiá…

Arrasta a sandália beato, lá vai o boi
Do Juazeiro ao crato, me diz quem foi
Quem foi que mandou o chuvaréu?
É água, meu Deus! Tá caindo o céu

Lourenço armou um sururu
Profetizou e o boi zebu
Virou xodó, floresceu a plantação
Do milagre ao quiprocó
Ê Boi Ápis do sertão
Parte mas deixa a saga
Que o tempo afaga pelas mãos de Vitalino
Cadê o boi? Tá bumbando na quermesse
Lá na feira faço a prece
Ao milagreiro nordestino

Desce o morro, faz a farra
Arretada Tuiuti
Requebra cintura de mola
No forró da minha escola
A poeira vai subir

 

G.R.E.S.E. IMPÉRIO DA TIJUCA

O TEMPO RUGE, A SAPUCAÍ É GRANDE E O IMPÉRIO APLAUDE O FELOMENAL

Compositores: Jussara Pereira, Dalton da Nelci, Luiza Fontella, Adriana Vieira e LID
Intérprete: Rogerinho

Áudio:       Império da Tijuca 2016

VER LETRA

Na Tijuca o céu também se transformou
Senti o cheiro do doce do juá
Chegou a caravana rolidei
E o menino zé vai te encantar.
Misturou a sua alma às cores
Vida mambembe e seus amores
Entre drama e alegria.
“Batalhando” dia a dia
Crescia um ator “felomenal”
De capa preta ou como veio ao mundo
“Conselheiro” ou “vagabundo”
Foi a alma do cinema nacional

Atenção! tocou a sirene
Nossa cena se abre pra multidão
Hoje o fundo musical é com a sinfonia imperial

Na luta do “bem” contra o “mal”
Ele foi santo, diabo e presidente
Em horário nobre eternizou
O milagreiro do amor.
Hoje! “eu vou lhe usar”, fantasia
Quero cair nesta folia e consagrar
O homem, o gênio, o mito
Colecionador e crítico
Rei da arte de representar
Estrela que hoje brilha no infinito
E a plateia grita bravo! (bravo!)
Seu show vai continuar.

Bye bye menino, bye bye gigante!
O Império aplaude o artista errante
O tempo ruge e a Sapucaí é grande…

 

G.R.E.S. CAPRICHOSOS DE PILARES

TEM GRINGO NO SAMBA

Compositores: Gabriel Fraga, Régis, Rute Labre, Franco Cava, Luiz Careca e Ricardo Santiago
Intérprete: Thiago Brito

Áudio:       Caprichosos de Pilares 2016

VER LETRA

Nas voltas que o mundo dá… caminhei
“Correndo” atrás de um sonho
Nessa terra enfim, cheguei
No meu destino vi de perto essa mistura
De cores, crenças e culturas… carnaval
Veio da Bahia pra casa de Tia Ciata
O som que imortaliza e consagra
Firma na palma da mão
Encontra na canção
A mais doce inspiração

“Pelo Telefone” ecoou desse terreiro
Uma “Aquarela” de um “Brasil mais brasileiro”
Melodia pelo ar, sentimento a revelar
O samba contagia o mundo inteiro

O povo abraçou todas as artes
Dos “gringos” que marcaram a história
No canto, na dança, pelas calçadas
Nas telas e palcos, bela escada
Então… da vida esqueci as ilusões
Com a bola conquistei os corações
Brilhei, me fiz um grande vencedor
Reflete a natureza em meus olhos
“São Jorge” cavaleiro a me guiar
Eu sou o “Pet”, de azul e branco a desfilar

Caprichosos chegou, quero ver segurar
Minha torcida é de Pilares, tem que respeitar
Vem da arquibancada um grito de gol! (gol!)
Comunidade dá show (dá show!)

 

G.R.E.S. INOCENTES DE BELFORD ROXO

CACÁ DIEGUES – RETRATOS DE UM BRASIL EM CENA

Compositores: Serginho Castro, Tentenzinho Jr, Rudá Neto e Marcelo Fernandes
Intérprete: Nino do Milênio

Áudio:       Inocentes de Belford Roxo 2016

VER LETRA

Vai partir… nos trilhos da alegria vai seguir o trem
Vem nessa meu amor vem ser feliz também

O show vai começar
Em cena um menino iluminado
Seu destino foi traçado… alagoano abençoado
No brilho de um nordeste fascinante
Na arte cultivou a bela flor
Exilado o sonho não acabou
Cacá Diegues vence a patrulha do opressor

Mulher brasileira beleza na cor
Xica da Silva escrava do amor
Tieta do Agreste morena brejeira
Bye bye Brasil… Salomé e Dasdô

Nos olhos do negro o fim da escravidão
Ecoa a liberdade… num canto quilombola seu axé
Enfim abraça a felicidade
Favela o berço de Orfeu… inspiração em poesia
Acende a chama nesse rio de fé… Deus é brasileiro de verdade
Velu Cacá! por vir ao mundo
E alegrar a tanta gente
Quem te agradece é a Inocentes
O meu celeiro de bambas
Me faz brilhar mais uma vez em aquarela
Hoje a cadência da baixada faz a festa
Receba o Oscar do samba

Meu coração é pura emoção
O cinema hoje invade a passarela
Canta a cidade do amor
Bate forte no peito… Inocentes chegou

 

G.R.E.S. RENASCER DE JACAREPAGUÁ

IBEJÍS – NAS BRINCADEIRAS DE CRIANÇA: OS ORIXÁS QUE VIRARAM SANTOS NO BRASIL

Compositores: Cláudio Russo, Moacyr Luz e Teresa Cristina
Intérpretes: Diego Nicolau e Evandro Malandro

Áudio:       Renascer de Jacarepaguá 2016

VER LETRA

Hoje a Renascer de Jacarepaguá
Com alegria vem brincar
Girando a imaginação
Um tabuleiro de doces
Sinhá mandou preparar
Cocada branca, paçoca
E bolo com guaraná.
Quem manda hoje é beijada
Amor que traz proteção
Salve Cosme e Damião!

Irmãos, ibejis
Mãos caridosas
A esperança é maravilhosa
Pra criança renascer!
O cravo brincou com a rosa
A flor se abriu em botão
Pai Francisco entrou na roda
Tocando o seu violão…

Doum Erê de paz
Dos orixás é o mensageiro
Nas ruas, nos quintais
Nos rituais do meu terreiro
Nas casas e também pelos sinais
A mão na roda sempre em comunhão
Nas matinês dos carnavais
Batalhas de confetes no salão!

Olha o pique esconde, comigo não tá!
De cabra cega não sei cirandar
Uni-duni-tê, quem vai me tirar?
Quero futuro pro meu be-a-bá

 

G.R.E.S. ACADÊMICOS DE SANTA CRUZ

DIZ MATA! DIGO VERDE. A NATUREZA VESTE A INCERTEZA. E O AMANHÃ?

Compositores: Zé Gloria, André Felix, Júnior, Marquinho Beija-flor, Roni Remandiola, Betinho, De Araújo e J. Giovanni (Participação especial: Macumbinha)
Intérprete: Carlos Pavarotti

Áudio:       Acadêmicos de Santa Cruz 2016

VER LETRA

Ecoa um grito de guerra no alto da mata
Auê auê auê
Quem foi que atirou esta flecha
No peito sagrado da vida?
Tupã, ganha a forma de trovão
Natureza em comunhão
Contra a força do invasor
Vai tocar o mais frio coração
Pra cada palmo de devastação
Nasce um ramo de amor

A corrente está formada pelo bem
Caipora me chamou, curupira vai ou vem?
Eu sabia! Não se brinca com o Pererê
Esta terra tem magia! Tem poder!

Seiva da selva de anhangá
Salva meu deus nosso habitat
Brotam as flores, pras dores do mundo sarar
Qual sumaúma me faz raiz?
Som da floresta de um tambor
Folha da mais verdejante matriz eu sou (eu sou, eu sou…)
Hoje a nossa fantasia
Só não será em vão
Se houver mais união, e menos hipocrisia

Ôôô… ôôô
Diz mata, eu digo verde
Ôôô, a Santa Cruz é meu clamor
É minha sede

 

G.R.E.S. UNIDOS DO PORTO DA PEDRA

PALHAÇO CAREQUINHA: PAIXÃO E ORGULHO DE SÃO GONÇALO! TÁ CERTO OU NÃO TÁ?

Compositores: Porkinho, Kiko Ribeiro, Vitor Gabriel, Daniel Morais, Marcio Souza, Bizzar, William do Barreto e Flavinho
Intérprete: Anderson Paz

Áudio:       Unidos do Porto da Pedra 2016

VER LETRA

Adeus tristeza… por favor não vá chorar
Hoje é dia de alegria, seu sorriso contagia
Quando o “circo do tigrão” passar
Vem ver… no picadeiro a magia acontecer
Vem ver uma criança sorrir
Com brilho nos olhos, se divertir
Oh palhaço iluminado
Pela arte apaixonado
São Gonçalo é você.

Hoje tem marmelada? Tem sim senhor
Nas ondas do rádio, “fanzoca” tocou
Vamos juntos cantar, aquela musiquinha
Parabéns… Carequinha!

No encanto do cinema
O Brasil parou pra ver!
Não é bobo, é o herói da criançada
Pioneiro na TV
“Viva” o palhaço do povo
Para o mundo é medalha de ouro
És patrimonio cultural…
A mais divertida estrela do céu
Nos fez sorrir, nos fez sonhar
Hoje vai te emocionar!!!

Paixão e orgulho… do meu lugar
Tá certo ou não tá? Vem com a gente brincar
Sou Porto da Pedra, sou pura emoção
Com essa trupe conquistei seu coração

 

G.R.E.S. UNIÃO DO PARQUE CURICICA

CORAÇÕES MAMULENGOS

Compositores: Washington Motta, Pitimbú, Vagner Silva, Alexandre Alegria, Telmo, Léo do Taberna, Marcelo Valência, Adelson e Márcio André Filho
Intérprete: Ronaldo Yllê (Part. Esp.: Elba Ramalho)

Áudio:       União do Parque Curicica 2016

VER LETRA

Quem nunca viu vai ver
Pode se achegar
Reze pra não chover
Ôxente o show vai começar
Ei… do baú surgiu
Vixe… tantos olhos coloriu
Das mãos os bonecos ganham vida
Mamulengos, doce ilusão
Salve os mestres do meu sertão

Tem comédia e terror, cigana do cajueiro
Papa-figo inclemente, que dá susto também
O palhaço não faz rir ninguém
O palhaço não faz rir ninguém

Tem festança, vem pra dança
Maracatu, bumba-meu-boi
Eita que fole danado
Audaciosa num batuque arretado!
Acolá, vem Lampião
Pra vencer o desafio
Desse povo nordestino… oi
Que leva a vida por um fio
Estórias magia da arte
Brincando por toda parte
Está na hora eu vou partir
Alegrar outra cidade!

Vem meu amor, mamulengar
Na caravana Curicica
Difícil não se emocionar…
Eu vou passar, mas a saudade fica!

 

G.R.E.S. ALEGRIA DA ZONA SUL

OGUM

Compositores: Pixulé, Meiners, Tubino, James Bernardes, Alex Bagé, André K, Gilson, José Mario, Junior e Victor Alves
Intérprete: Tiganá

Áudio:       Alegria da Zona Sul 2016

VER LETRA

Vamos bater os tambores
Exú vai guardar os caminhos
Seguindo a missão de odudua
Floresce a vida no ayê
Reluz na espada o seu poder
Descobre os minerais, a forja dos metais
Do sopro de iansã, vem a essência
E segue a lutar ao lado de Oxaguiã
Coragem, valentia e resistência

Ele é, ele é… soberano Onirê
Do reino de Irê, senhor
Com o seu alakorô vai conquistar
E seu nome correu terra, céu e mar

Baixando as armas voltou ao Orun
Mas sua mensagem se perpetuou
Vem de Aruanda trazer seu axé
A liberdade, nos terreiros, ecoou
E então vai começar o ritual
Folhas para enfeitar, devoção em cada olhar
Abre o xirê… vou evocar tua proteção
Ogum é Jorge, é religião
E a Alegria canta em sua fé
O cavaleiro forte e destemido
Conduz a zona sul ao infinito

Quando toca o adarrum
É batuque pra Ogum… axé (axé, axé)
Patakori guerreiro, nos abençoai
Ogunhê, meu pai

 

G.R.E.S. ACADÊMICOS DA ROCINHA

NOVA ROMA É BRASIL, BRASIL É ROCINHA!

Compositores: Edinho, Diego do Carmo, Vitor Coutinho, Rico Bernardes, Rafael Mikaiá e Wander Timbalada (Participação especial: Luiz Thiago, Alex Santos, Daniel Barbosa e Wilson Pessino)
Intérprete: Leléu

Áudio:       Acadêmicos da Rocinha 2016

VER LETRA

“Vou cantar-te nos meus versos”
Voa borboleta encantada
Gigante em sua própria natureza
Teu cenário uma beleza
Essa terra abençoada!
Que aos trancos e barrancos “pegou”
E assim miscigenou…
O índio guerreiro, valente a lutar
Se planta, floresce, eu sei que vai dar
Heranças, costumes, em cada palmo desse chão
Tão lindo ver essa comunhão

Navegando de lá…
O português a chegar
Tanta riqueza brilha no olhar
Desembarcou trazendo a sua fé
Nesse banquete só não come quem não quer

Lá no terreiro… batuque
Ecoa o som do tambor
Ô deixa a gira girar, semeia amor
O negro é raça, mostra seu valor
Meu dengo, se avexe não!
Vamos dançar forró à luz do lampião
O meu nordeste é arte, é cultura
Há esperança caminhando pelas ruas
Vai Brasil, trago a favela no meu coração
A nova Roma incendeia
Um Coliseu de emoção

Sou a alma, a cara desse lugar
Vem no meu gingado, a Rocinha vai passar
É o meu povo valente e lutador
Brasileiro com orgulho e amor